Já relatado anteriormente, mas somente para lembrar, sempre morei em instituições até me casar. Nas instituições tem muitos voluntários que oferecem aquilo que melhor sabe fazer. Graças a Deus eu sempre fui muito curiosa o observadora, procurava ficar perto de pessoas que pudesse agregar algo de bom em minha vida. Foi assim que me ofereceram aulas de artesanato, pois havia uma senhora, uma das voluntarias desta instituição que morei que ensinava um dos internos. Com quem não quer nada, eu chegava quietinha e só ficava observando e admirando (pois sou apaixonada por artesanato), até que um dia ela começou a me ensinar.

Ela dizia que eu tinha um dom, pois aprendia as técnicas apenas olhando ela fazer (nesta época eu tinha 8 anos de idade). Tive uma das melhores professoras de artes plástica da cidade, e tudo que ela sabia, me passou.

O último ano que tive aula com ela foi em 2003, quando eu já estava com 23 anos. Mas não é isso que venho falar, porém essa professora fez parte de minha vida em muitas coisas, por isso menciono ela neste momento.

Sempre apreciei uma boa música (sim, boa música, com histórias, letras que conta algo bonito, e claro uma voz limpa e com sintonia com os instrumentos), e me via tocando teclado. Admirava e admiro demais o teclado, por nos dar opções de emitir outros diferentes som. Mas era um sonho quase que impossível para uma pessoa que morava em instituição, pois temos o básico, o necessário para viver. Eu nunca teria dinheiro para comprar um instrumento desse.

Um fim de semana, esperando a professora de artesanato eu lia os classificados de um jornal, com esperança de encontrar alguém vendendo um teclado usado, apenas para ter noção de valores. Quando minha professora chegou, perguntou-me o que eu estava procurando. Então disse que estava apenas sonhando com um teclado, vendo preços de um usado (eu tinha 16 anos de idade).

A mesmo perguntou o por que eu queria saber o preço de um, foi onde eu disse que eu tinha muita vontade de aprender a tocar, pois achava lindo. Ela sorriu e me disse:

– Interessante! Seus desejos são muito diferente para uma pessoa que sempre viveu em orfanatos.

Então respondi:

– É, eu vim com defeito de fábrica…rsrs, também me acho diferente das pessoas que sempre convivi.

– Então ela cortou a conversando, e me chamou para mais uma aula.

Após um mês desse ocorrido, ela (a professora de artes) me perguntou:

– Se você tiver um teclado, consegue pagar suas aulas?

Respondi:

– Sim. Já vi algumas aulas à domicilio. Tem um que dá aula há 10 anos, e o custo era acessível.

Ela me disse:

– Então pode fechar o contrato com ele, seu teclado vem amanhã para você.

Sim, ela me deu um teclado (teclado top na época). Pensa em uma alegria que não cabia dentro de mim. Só não dei pulos de alegria por que não andava…rsrs. Mas dentro de mim, no meu eu, eu saltava. Não sabia como agradecer ela. Ela percebendo minha alegria me disse uma única coisa, que foi:

– Tudo que eu a ensinar, tudo que eu fizer para você, passe sempre para frente, ensine e faça para as pessoas aquilo que ela não pode fazer para si mesma. Pois você tem potencial para muitas coisas que futuramente entenderá.

De todas as coisas que ela me ensinou, esta foi a melhor!

Dia seguinte liguei para o professor para fechar o contrato e iniciar as aulas. Ele me passou seus horários e dias disponíveis e perguntou:

– Quando você pretende iniciar as aulas?

Respondi:

– Ontem!!!

Ele sorriu e me disse:

– Começamos na quinta-feira, tudo bem para você?

Claro que aceitei, era o dia mais próximo que ele tinha disponível (isso era uma segunda-feira).

Diante de tanta felicidade e conquistas, devo ter incomodado muitas pessoas. Como diz uma amiga-mãe. “Querida, fique firme! Ninguém atira pedras no escuro. Você brilha, por isso incomoda algumas pessoas.”

Faz sentido o dizer dela, pois de segunda-feira até a tão esperada quinta-feira, a assistente social, a diretora, e a fisioterapeuta dessa instituição chamou esse professor de teclado para conversar, mas só fiquei sabendo disso depois de um certo tempo.

Disseram a ele que estaria perdendo o tempo dele comigo, pois diante da minha deficiência, eu nunca conseguiria tocar qualquer instrumento. E que ele teria que me dizer que teve problemas e não poderia mais me dar aulas.

O mesmo respondeu:

– Eu vou tentar, e se eu perder qualquer tempo com ela, esse tempo é meu e nenhuma de vocês será prejudicada. E se vocês me impedir de vir, conto a verdade para ela o por que não irei das as aulas dela. Meus alunos consegue tocar uma música inteira em 6 meses, se em 1 ano ela não conseguir nada, converso com ela e paro as aulas.

Uma dessas pedras que deveria me apoiar, ainda foi resistente tentando fazê-lo desistir, mas meu amado mestre de música não deu ouvidos, iniciamos as aulas conforme combinado.

Ele sempre me dizia:

– Treine todos os dias uma hora por dia, somente assim você terá resultado.

Como eu amava tudo aquilo, eu treinava todas as noites por três horas. No quarto mês, ele me trouxe uma partitura e me disse:

– Vamos tentar começar a tocar uma música, não precisa ser inteira, mas pelo menos uma parte dela. Você já sabe ler partituras e conhece todas as notas.

Fiquei toda feliz, pois chegou o momento que sai dos exercícios e enfim tocaria algo…rs.

Ele posicionou a pasta com a partitura e comecei a tocar. Me senti realizada naquele momento, me envolvi de corpo, alma com aquela música que estava tocando. Música “Always” (tradução: Sempre) do Kenny G, segue link dela para quem quiser ouvir minha primeira música tocada “INTEIRA” naquele momento.

https://www.youtube.com/watch?v=4M_wsgUPcPo&list=PLxQs1zeIV3tIa2ztb0hsgxNyPVKivESfD&index=8

Quando terminei de tocar e voltei para o planeta terra…rs. Olhei para meu professor, ele estava emocionado. Fiquei assustada, e perguntei a ele porque esta daquele jeito. Me respondeu:

– Não iria te contar, mas preciso dizer uma coisa a você. (Logo pensei. Será que ele não gostou!).

– Logo que iriamos começar sua aula, fui chamado aqui na direção por “fulana”, “bertana” e “sicrana”, me disseram que eu perderia meu tempo com você devido seu problema, e que você não iria conseguir tocar este instrumento. E você iria se frustrar e sofrer com isso. Porém não achei justo, tirarem sua chance de tentar. Poucos alunos tira uma música inteira como fez agora em tão pouco tempo.

E continuou me dizendo:

– Você é uma pessoa que Deus colocou ao mundo para ensinar e provar muitas coisas as pessoas, seja qual for a religião. Não entendo sua patologia, mas você simplesmente arrasou.

Naquele momento não sabia definir meu sentimento. O mesmo tempo que me senti no céu por ter tocado uma música, desci ao inferno por saber que as pessoas que mais deveria estar ao meu lado, incentivando, quis destruir meu sonho.

Graças a Deus quando eu passava por estes sentimentos, isso me fortalecia, pois eu queria provar e provava que estes tipos de pessoas, estava erradas. E provei à elas que estavam.

Fiz o curso por 4 anos e conclui. Cheguei dar aulas de teclado, participei de coral e eventos, aprendi também tocar flauta doce. Um dos eventos, eu fiz a abertura da comemoração de fim de ano do hospital Unimed, e deixaram eu escolher a música para a abertura.

181217_572626966115813_1225596652_n

Escolhi a que eu mais gostava de tocar, pois quando era tocada, era sinal de vitória. Era constantemente uma vitória cada evento que eu era chamada.

Segue o link da música: https://www.youtube.com/watch?v=-0hmmX96QvY

Enfim, este foi um dos sonhos que consegui concluir. Um deles!!

 

 

Anúncios